Fase 2° - Adaptação

17:30



Quais foram as estratégias de adaptação? O que fiz quando senti vontade de desistir? Como essa mudança mudou minha rotina e como foi mantê-la?

Nessa segunda fase, decidi que se quisesse obter algum resultado com os treinos deveria mudar minha alimentação. Havia descoberto uma paixão pela musculação e queria potencializar meus resultados. Então, comecei alterando minha alimentação de segunda a quinta-feira, mas na sexta-feira no café da manhã eu já chutava o balde e assim ia até o domingo à noite. Bem, vocês já sabem o que aconteceu: pouquíssimo resultado. Foram alguns meses dessa forma até que eu me conscientizasse e mudasse também a sexta-feira e, logo depois, o domingo também. O sábado era o meu dia completo de comer porcarias.

Então, alterei meu cardápio e nessa fase me alimentava com pão integral, queijo branco, peito de peru, verduras, batata-doce, clara de ovo, frango, barra de cereal e ainda consumia bebida alcoólica uma vez no final de semana e alguns docinhos. Nessa etapa meu maior desafio era reduzir o consumo de doces e da bebida alcoólica.

Uma informação importante dessa fase é que eu reduzi o consumo de carboidratos e não fazia a refeição do pós-treino e na refeição pré-treino eu não consumia o carboidrato, uma fonte de energia importante para quem pratica atividade física. Treinava à noite e logo após o treino eu dormia sem nenhuma refeição. Isso é algo muito errado, e, já que estou detalhando para vocês como foi o meu processo de adaptação, menciono esse erro para que saibam o quanto é importante a alimentação nos horários corretos e procurar um nutricionista especializado para instruir corretamente. Temos, sim, muito conteúdo disponível na internet, mas precisamos tomar muito cuidado com as “dietas prontas”, porque cada um tem sua rotina e suas próprias necessidades nutricionais. O que julgo importante nesse período é que nada foi imposto, todas foram decisões que partiram de mim, de um desejo de mudar meu corpo e como fruto da paixão pela musculação. Nesse período, emagreci alguns quilos, mas ainda nada tão significativo. Mas não pensava em desistir devido à paixão que havia adquirido pela musculação. Aquela atividade me servia como um momento de cuidado comigo, e ver meu corpo mudando pelo meu esforço me estimulava mais.

Nessa fase eu ainda abria mão da alimentação saudável em qualquer festa e comemoração especial. Em compensação, me mantinha fiel aos treinos, mas como já podem imaginar, não foi suficiente... Então, vamos para a fase 3?

Fiquem ligadas(os) nos próximos posts para não perder todas as fases desse processo.

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Instagram